Sábado, 18 de Agosto de 2012

O filho de mil homens

fotografia.JPG

O livro comprei-o no passado sábado, numa pequena feira, em Melgaço. A vontade de o ler, fez-me abrir o livro, ainda nessa noite. Fui devorando aquelas páginas e fazendo pequenas dobras nas folhas com algumas passagens que sabia mais tarde, ia querer partilhar em voz alta, outra vez e outra vez. Uma história feita de varias historias. Vidas distintas, que se cruzaram. Personagens infelizes que por força do destino, das decisões, dos caminhos, das atitudes, viram as suas vidas interligadas. Vidas famintas e infelizes. Vidas feitas de metades, que quando se uniram, conseguiram finalmente ser felizes. As páginas do livro oferecem-nos momentos feitos de pedaços dispersos, de homens, mulheres, novos e velhos, crianças, todos diferentes entre si. Pedaços que depois de se encontrarem formaram o mais belo quadro da família improvável feliz. Dos sonhos que se revelam tarde ou dos sonhos de uma vida. Da amargura de se ser sozinho, sem amor. Do nascer de novo, apenas e só porque se aceitou a si próprio. Do pilar de uma vida, a família, que também se escolhe. Ontem terminei o livro. Da viagem de casa para Tomar, para um fim de semana de muito calor, desejei que se alonga-se um pouco mais, só para que pudesse devorar aquelas páginas. A inquietude apressou-me e em menos de nada acabei de o ler.

tags:
publicado por susana às 22:36
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 5 de Fevereiro de 2012

O quarto de Jack

fotografia.JPG

Há livros que me chegam através da blogosfera. Porque surgem óptimas referencias de quem já os leu e o rol é grande. Ontem estava indecisa entre "Os descendentes" e "O quarto de Jack" e acabei por comprar o segundo. Gostei das impressões causadas nos leitores, da sinopse, do facto de todas as descrições serem feitas por uma adorável criança de apenas 5 anos. Um livro cheio de sonhos e perspectivas únicas da realidade, daquela realidade entre quatro paredes apenas. Porque há quem viva assim e sonhe e sorria. E o amor por alguém, só por si não desvanece só porque o espaço partilhado seja apenas um quarto.

tags:
publicado por susana às 08:35
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2012

Palavras leva-as o vento

Vais encontrar muita gente pela vida fora que diz as palavras certas na altura certa. Mas, ao fim e ao cabo, é pelas suas ações que os deves julgar. São as ações e não as palavras que contam.

 

Corações em Silêncio

Nicholas Sparks

tags:
publicado por susana às 08:00
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 31 de Agosto de 2011

Momento ZEN

fotografia.JPG

Uma revista que não conhecia, com artigos muito diversos e interessantes.
tags: ,
publicado por susana às 22:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 25 de Junho de 2011

Depressa, depressinha

E acabei mais um livro, devorei-o.

Um livro muito descritivo, que me permitiu viajar e me levou para bem longe. Sou capaz de imaginar e reconhecer todas as personagens. Viajei no tempo, de táxi, a pé, percorri aquelas cidades, sentei-me naquelas esplanadas e eu própria fui uma visita em cada casa.

Tomei chá e reguei as flores da varanda.

Histórias cruzadas, de vidas que se alimentavam da mentira, das falsas aparências e traições.

É obvio que não é preciso ler um livro para perceber que a opulência e a falsidade não singram uma vida inteira. Por vezes dilatam-se no tempo, mas lá virá o dia em que a máscara cai e se revela o verdadeiro ser.

Mais cedo ou mais tarde. Vale sempre a pena, a luta pelos nossos ideais e nada acontece por acaso. Aquilo que pode ser ou parecer um trauma de infância, ou um episódio mal resolvido, interfere de forma tal no caminho percorrido, que se revela crucial na construção do carácter de cada um.

Caminhos que se tocaram, que se afastaram, que encheram tantas páginas. Encruzilhadas e muitas pedras no caminho.

Vidas tristes. Sonhos. Revelações intensas. Integridade. Mentira. Verdade. Amor!

tags:
publicado por susana às 22:46
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Junho de 2011

Uma historia por dia

Cá em casa todos partilhamos o gosto pela leitura.

Por todo o lado há livros espalhados e ás vezes cabe-me a mim ler uma história, outras vezes são eles que fazem as honras da casa.

A mais nova, ainda sem saber ler, já se tornou numa boa contadora de histórias e já segue as pegadas do irmão.

Descobri um site, que irá com certeza deliciar aqueles que gostam de ler. A mim agradou-me bastante.

Para quem gosta de ler e de contar histórias.

Um site que pode divertir pequenos e graúdos e que nos presenteia com Uma história por dia

publicado por susana às 13:50
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Tão somente isto

"Afinal, talvez devêssemos todos desistir de tentar retribuir às pessoas que sustentam as nossas vidas neste mundo. Afinal, talvez fosse mais sensato rendermo-nos diante do alcance miraculoso da generosidade humana e limitarmo-nos a dizer incessantemente obrigada, para sempre e sinceramente, enquanto tivermos voz."

 

Do livro Comer, Orar e Amar

tags:
publicado por susana às 08:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011

Os meus quatro irmãos

Ainda a propósito do livro que estou a ler, hoje fiquei fascinada com o que li e ao mesmo tempo intrigada, como se aquelas palavras fossem só para mim, que aquela descrição fez reviver algo, que durante muito tempo me atormentou. A Liz foi descrevendo um dos seus medos e confidenciou um sonho que a persegue desde sempre. Nesse sonho ela aparece a dormir e quando acorda depara-se sempre com um homem que tem uma faca na mão e a deixa profundamente assustada. Quando li aquela frase fiquei arrepiada, que há anos tenho um sonho idêntico que me deixa sempre aterrorizada e afinal não é mais de uma compreensão errada, que quem aparece no sonho, pelo menos no dela, segundo as crenças dos homens de Bali, aquele homem do sonho não lhe quer mal e o que trás na mão não é uma faca, é um instrumento de protecção.

Agora a Liz sabe que aquele sonho não é mau e se acordar ela sabe que pode voltar a adormecer, que está protegida e ninguém lhe fará mal.

Na Indonésia, acredita-se que quando nascemos, vimos acompanhados de quatro irmãos invisíveis (os nossos quatro irmãos espirituais) que nos protegem durante toda a vida e que nos levam para o céu quando morremos. O líquido amniótico, a placenta, o cordão umbilical e o líquido ceroso que protege a pele do feto, são cuidadosamente enterrados no jardim da casa quando uma criança nasce. "Esses irmãos" encarnam as quatro virtudes que são necessárias para que uma pessoa possa ter felicidade e segurança na vida. Elas são respectivamente a inteligência, amizade, força e a poesia.

Agora penso como hei-de reagir quando voltar a ter aquele pesadelo. De repente e acordada deixei de ter medo.

publicado por susana às 13:25
link do post | comentar | favorito
|

A páginas tantas

Já comi, já orei e estou a amar o livro, que estou quase a terminar. Agora quero muito ver o filme, já me disseram que vou ficar desiludida, ainda assim não me importo de correr o risco.

Na mesinha de cabeceira, já está este este livro verdinho, de olhos esbugalhados à espera de ser devorado. Os cachopos acharam-lhe muita piada:

- Vais ler um livro de bonequinhos, mãe?

E o que eu quero é recuperar o tempo perdido, que nos últimos anos e batam-me se quiserem, eu li muito pouco, confesso que comecei a ler um ou outro livro e deixei-os a meio. É obvio que não se tratou de abstinência total, mas andou lá perto. Agora é diferente e ontem desbocada como o crocodilo, disse ao mais velho que há-de ser um livro por mês.

Ambiciosa, não? Se o ler todos os dias à noite, também não podem ser muitas páginas, que adormeço fácil, depois nos bocadinhos livres durante o dia, talvez consiga. A ver vamos.

tags:
publicado por susana às 12:57
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010

O que se lê por aqui

Uma longa viagem, por sinal.

Ainda estou em Itália, a aprender a língua, a saborear os prazeres da comida italiana, a reconciliar-me comigo mesma, a encontrar-me.

Depois de um divórcio tão doloroso parti à descoberta de outras partes de mim.

Não fugi, fui ao teu encontro.

 

tags: ,
publicado por susana às 13:40
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O filho de mil homens

. O quarto de Jack

. Palavras leva-as o vento

. Momento ZEN

. Depressa, depressinha

. Uma historia por dia

. Tão somente isto

. Os meus quatro irmãos

. A páginas tantas

. O que se lê por aqui

.arquivos

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds