Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Estou triste

Depois de um fim-de-semana que passou a correr com um feriado a um Domingo e que por si só já é razão mais do que suficiente para me deixar chateada, nesta segunda-feira, desejo a todos os meus amigos uma óptima semana.

Deveriamos aproveitar para fazer algo de que realmente gostamos, porque existe sempre um tempinho para nós e mesmo que se pense que é pura demagogia temos que acreditar que esse tempo nos faz falta e nos pertence.
Uma ida ao ginásio, um momento de leitura, um programa televisivo, um café com um amigo, apurar dotes culinários, uma caminhada por mais curta que seja e muito, muito mais.
Cada um sabe na sua verdadeira essência o que lhe dá mais prazer, por isso não é suposto desperdiçarmos o nosso dia e adiar a vida para mais tarde e vivermos com a certeza do que queremos mas com a incerteza de que amanha já poderá ser tarde.
Não me quero voltar a deitar com a sensação de que não fiz pelo menos uma coisa de que gosto, nem adormecer magoada com alguma palavra proferida por alguém que amo e que também me ama a mim, sem que lhe diga o que sinto verdadeiramente e o impacto que teve em mim aquilo que foi dito.
Não são precisos mais do que breves minutos e até mesmo em forma de oração podemos fazer uma introspecção para perceber onde falhamos, se realmente erramos e se deveríamos ter feito em determinada altura um pedido de desculpas.
Devemos deixar sempre uma porta aberta à tolerância, mas ter a coragem para dizer o que realmente sentimos na hora certa.
De nada vale adormecer com o coração pesado e machucado pois não teremos uma noite tranquila e o nosso corpo não irá descansar e de manha quando acordamos, mesmo depois de umas horas de sono, tudo estará na mesma, ou não.
Haverá quem não tenha uma segunda hipótese de se redimir ou de ouvir uma palavra merecida.
Falar pode ser duro mas não falar corrói e deixa-nos infelizes.
Mudar as nossas atitudes e os nossos comportamentos assusta-nos, mas não o fazer, ou nem sequer tentar, não nos dignifica nem nos faz crescer.
Tolerar, ouvir, perdoar e esperar que aceitem o nosso pedido de desculpas é o mínimo que devemos fazer por nós e pelos outros.
Eu hoje acordei assim, com o coração apertado porque ontem me deitei triste, porque não partilhei as minhas angústias, porque não compreendi, porque não pedi perdão, porque não fui tolerante nem me toleraram.
Deitei-me vazia de afectos, de um abraço, de um aconchego para uma noite serena e tranquila.
A cada noite que chega e quando deitar a cabeça no travesseiro, que seja com a certeza do dever cumprido, para com o mundo, os meus amigos, os meus filhos, o meu marido, mas acima de tudo para comigo mesma.
Confesso que desde sábado me sinto arrasada porque algo de terrível aconteceu ao irmão de uma formadora do curso que frequento.
Hoje chegou a confirmação de que faleceu e amanha vai a enterrar.
Gelei quando li o e-mail que me enviaram a dar conta do sucedido. 
Como se justifica, quem me explica, quem me dá uma razão pláusivel para o sucedido? Quem lhe roubou a vida e porquê? 
Dá que pensar e assusta-me tanto!
Travamos lutas intensas quando na verdade há quem não tem alternativa, não para fazer valer a sua palavra, mas para simplesmente se manter vivo.
Há uma ferida aberta para quem chora a morte de alguem, que muitas vezes demora a fechar e noutras tantas mantem-se aberta para sempre, mas não me parece justo que uma vida seja ceifada assim,mesmo que me digam que não sofreu, que morreu durante o sono, tranquilo.
É arrepiante, nem a oportunidade teve de lutar contra esse monstro que se chama morte.
A todos os familiares e amigos manifesto o mais profundo sentimento de pesar.
  
    
Que a coragem não me falte, ao acordar
Que o olhar não se turve, se chorar
Que os ombros não se curvem, se pesar
Que o sorriso não esmoreça, se gelar
 
Título: Coragem
Autor(a): Maria Carrilho
Data: Primavera de 2003
  
 

 

publicado por susana às 22:40
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. 2019 a terminar!

. Caminhos

. Insónias

. Saudades e pipocas

. Girassóis

. Sunset

. Exercitar a mente

. Contemplação

. Taxa de álcool no sangue!...

. Vou ou não?

.arquivos

. Dezembro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub