Terça-feira, 22 de Março de 2011

A Páscoa da minha infância

A Laranjinha deixou-nos um desafio empolgante que abraça várias vertentes, a fotografia, a culinária e a escrita.

Falar de um doce de infância é falar de Pão de Ló. Correndo o risco de me tornar repetitiva não seria uma justa participação se promove-se outro doce.

Dos cheiros e das lembranças da cozinha da minha mãe, este foi efectivamente o bolo da minha infância.

O Pão de Ló era colocado de forma majestosa no centro da mesa sobre a toalha de renda. Não havia outra forma de presentear o Domingo de Páscoa.

Os ovos eram caseiros, uma dúzia, encomendados com a antecedência necessária.

As mulheres que estavam à esquina a vender fruta e legumes, que os traziam no carrinho de mão, também vendiam por encomenda coelhos e galinhas.

Ás vezes vasos de plantas, orquídeas em flor, cheios de cachos de cor e beleza. A encomenda chegava a casa pelas mãos da minha mãe, no sábado pela manha.
Da rua, regressava com o saco da mercearia, os ovos caseiros e o pão fresco guardado na saca de pano cuidadosamente passada a ferro e bem vincada.
O bolo era feito à tarde, depois de uma visita ao cemitério. Da campa dos avós maternos, tão lavada e enfeitada com as flores possíveis naquele fim de semana.
Um pinga de café quentinho e uma fatia de regueifa doce, que ajudava a retemperar energias depois da longa caminhada, que o trajecto  para o cemitério fazia-se a pé, de balde na mão. No regresso, já sem as flores, depositadas fielmente na campa, parávamos na casa daquela senhora que cozia a regueifa a lenha. Só o fazia uma vez no ano, por altura da Páscoa.
Era chegada a hora de fazer o bolo e eu lembro-me bem de toda aquela excitação!
Da bacia enorme, do bater das gemas com o açúcar, sempre para o mesmo lado, com a mesma cadencia e braço firme. Uma tarefa demorada, que esse era o segredo para que o bolo crescesse e ficasse fofo. A colher de pau não parava de bulir e as minhas mãozinhas seguravam aquela bacia para que não rodopiasse sobre si. Uma mistura esbranquiçada a borbulhar dava-nos conta de estar no ponto.

Do que eu gostava daquela tarde! Do rapar da bacia os restos da massa crua, tão doce quanto aquele momento.
Cozia em forno lento e era vê-lo crescer e ganhar cor.
O melhor prato do serviço de jantar levava o Pão de Ló à mesa e o compasso trazia-nos uma mensagem de esperança e a bênção aos nossos corações.

 

 

12 ovos inteiros

O peso dos ovos é o peso do açúcar

Metade do peso dos ovos é o peso da farinha

Uma colher de fermento

Um cálice de vinho do Porto

Batem-se as gemas com o açúcar até obter uma massa homogénea esbranquiçada, juntam-se as claras em castelo alternando com a farinha.

Vai a cozer a 180º, cerca de 40 minutos.

Um óptimo acompanhamento para recordações e lembranças de infância!

 

publicado por susana às 22:12
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Laranjinha a 22 de Março de 2011 às 22:51
Susana,

adorei a tua história. Também me lembro da recomendação de bater o pão-de-ló sempre para o mesmo lado. Acho que este é mesmo o bolo que marcou uma geração. O vinho do Porto é uma ideia a experimentar. :)

Muito obrigada pela tua participação.

Um beijinho.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Caminhos

. Insónias

. Saudades e pipocas

. Girassóis

. Sunset

. Exercitar a mente

. Contemplação

. Taxa de álcool no sangue!...

. Vou ou não?

. A velhice é do caraças

.arquivos

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds