Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011

Um postal da Bretanha

 

O que eu gosto de surpresas na caixa do correio.

Obrigada pelo postal! Havemos de lá ir um dia juntos, que dizem?

Seria ótimo, não?  

publicado por susana às 22:27
link do post | comentar | favorito
Domingo, 27 de Fevereiro de 2011

À nossa, um brinde em grande!

Um Mojito. O aroma da hortelã!

 

publicado por susana às 21:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

Coisas da solidão

Parca em palavras, aquela mulher folheia todos os dias de manhã ali no café as revistas que poisam em cima das mesas. Ás vezes é o jornal do dia anterior que lê com muita atenção, agora sei que lê com dificuldade e bem devagar, que até nem gosta muito de ler e não percebe o que lá está escrito. Chama-se Maria, não sei se é viúva mas é mãe e avó. Os netos já são homens e os filhos andam na vida deles e não os quer apoquentar, nem afligir.

Vive sozinha com os seus pensamentos e medos e de todos os irmãos diz que é a mais fraca da cabeça. Hoje, sem pedir licença sentou-se ao nosso lado na nossa mesa e nas mãos trazia a revista Sábado, do Jornal de Notícias. Um artigo sobre o cancro e os alimentos recomendados no combate à doença. E como já se tinha apercebido que eu gostava de ler, reconheceu em mim aquela que lhe podia explicar as palavras que compunham o artigo. E eu li como leio aos meus filhos. Devagar, em voz alta, de forma pausada e com todo o ênfase que cada frase merece, respeitando sempre os pontos de exclamação, as virgulas e os pontos finais. De frase em frase esmiuçámos o sentido das palavras e as fotografias do artigo auxiliavam o meu raciocínio.

Só a conheço dali do café, sempre sozinha e calada, de cabeça baixa e olhos postos nas páginas das revistas. Todos os dias é assim, ou quase sempre assim. Naquelas folhas de papel minora a solidão dos dias e das noites, mas hoje tomou coragem e sentou-se ao nosso lado e com os olhos embargados perguntou-me enquanto sorria se eu tinha força de viver, é que ela não, diz que vai andando até não poder mais, enquanto enxugava os olhos escondidos por detrás dos óculos.

publicado por susana às 08:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011

De olhos bem abertos

A semana passada, mais propriamente na quarta feira presenciei o atropelamento de uma amiga. Na passadeira, onde supostamente os peões estão em segurança. Numa fracção de segundos a vida passa diante dos nossos olhos e um medo imenso apodera-se dos nosso pensamentos. O tempo de recuperação é lento e mesmo sem haver qualquer fractura todo o corpo dói. Quem passa por um momento destes sente um grande abalo interior e não falo só da dor física. 

Uma distracção de um condutor pode ser fatal, por isso há que ter o máximo cuidado quando andamos na estrada, sempre.

Olhos bem abertos, pessoal!

publicado por susana às 08:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 4 de Fevereiro de 2011

Um almoço de semana diferente

Hoje foi diferente, um dia de estudo, entre papéis e o computador. Um dia assim rende imenso, que não há interrupções, de espécie nenhuma. É que é quase impossível estudar o que quer que seja com os cachopos em redor.

Uma interrupção para almoço, claro que sim, que embora não pareça, é sempre preciso mastigar alguma coisa e hoje tive por companhia o meu filho.

Fui busca-lo à escola e fomos almoçar a casa da minha mãe e ele adorou a surpresa. Sabia que o ia buscar, já tínhamos combinado mas não sabia onde íamos. Uma visita curta que sabe sempre bem, principalmente porque já não nos encontrávamos desde Domingo passado. Um arroz de feijão malandrinho com panados de peru. Um sol magnífico à hora de almoço e uma praia de perder de vista. Não há melhor. Retemperaram-se energias.

 

 

publicado por susana às 22:08
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2011

Melhoras rápidas

Da morte não há muito a dizer, que as há anunciadas é certo, mas apanham-nos sempre de surpresa, vêem pela calada.

Eu tenho medo da morte, penso nela muitas vezes, se é que me posso dirigir assim a esta coisa macabra, mas mais certa que tudo.

Medo da morte, de uma doença e sou um bocado paranóica, do tipo de sofrer por antecipação, seja comigo ou com os outros.

Nestas duas ultimas semanas muito se tem falado de doenças e morte aqui por estas bandas. E daquelas doenças silenciosas que chegam sem avisar e batem à porta daqueles que aos nossos olhos nos parecem as pessoas mais saudáveis que conhecemos.

Amigos, colegas de trabalho, professores, familiares e espero que não seja um mau presságio e que esta onda passe depressa e que aqueles que se encontram doentes melhorem rapidamente, mas rápido mesmo. Que recuperem das enfermidades e que se abra a porta da vida, raiada de sol e de esperança.

 

publicado por susana às 08:09
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

OS NOSSOS AMIGOS

Quando paramos para pensar, que seja um bocadinho apenas naquilo que os nossos filhos nos dão, ficamos enternecidos.

Dão-nos beijos, carinhos, fazem-nos rir como ninguém, são o nosso espelho, que o que não gostamos de ver neles, é muitas vezes fruto dos nossos ensinamentos ou a falta deles.

Dão-nos muito, só o simples crescimento, a pedra em bruto que nos cabe a nós esculpir, é uma dádiva que agradeço a Deus, todos os dias.

Dão-nos coisas menos óbvias, mas igualmente deliciosas.

Hoje, tenho amigos que foram os meus filhos que me deram.

Não são amizades antigas, não são relações da minha adolescência, dos anos áureos da faculdade, mas são amizades completas e sólidas.

Neste momento da nossa vida, em que vivemos essencialmente em função dos nossos filhos, em que nos afastamos dos nossos amigos de longa data porque a vida agitada nos rouba tempo, descobrimos novos amigos, os pais dos nossos filhos e a partilha de experiencia enriquece-nos a cada dia.

Cimentam-se novas relações e descobrimos afinidades e semelhanças de vidas simples como a nossa.

A partilha de preocupações, as inquietações do crescimento, as peculiaridades próprias das idades, estreitam um relacionamento entre pessoas que à partida nada têm em comum e é bom sabermo-nos redondamente enganados, que a feição e a estima são pesos pesados, que fazem a balança da amizade ficar mais rica e tornam a nossa vida mais abastada.

publicado por susana às 21:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2010

Vem aí a cegonha

E quando se fala em bébés, eu fico sempre empolgada e feliz com a novidade e com a condição dos novos papás.

A nossa família está a crescer e vem aí um priminho a caminho, ou uma priminha, quem sabe!

A gravidez é um momento de grande alegria, vivido de forma intensa por toda a família.

Estou muito feliz com a notícia e mesmo quando um filho não é planeado não deixa de ser muito, muito desejado.

E eles merecem o melhor, que o caminho que percorreram até aqui foi difícil e doloroso.

Travaram lutas gigantes mas o mundo acabou por perceber que o amor vence sempre.

Se hoje estão juntos, é tão simplesmente porque se amam.

O resto, é isso mesmo, o resto.

PARABÉEEEEEENS!

publicado por susana às 21:40
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 1 de Dezembro de 2010

...

A Pipoca deixou-nos uma ideia original, isto para quem gosta de sapatinhos e botinhas.

Confesso que achei um piadão, pena que a sapataria esteja localizada apenas em Braga e Lisboa.

Se lá passarem, entrem, escolham um modelito e peçam para enviar a foto, a quem querem, que vos impressione neste natal!

Fácil, não? 

publicado por susana às 23:24
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

Nunca mais é sabado

publicado por susana às 23:18
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. Carta de uma mãe

. Projecto de vida

. Quando as palavras não ch...

. Amigos para sempre

. Da perplexidade dos actos...

. A partida dói

. Mulheres

. Um almoço diferente

. O moinho - Amigos de Peni...

. Do que sinto por ti

.arquivos

. Dezembro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub